Quais os impactos da saúde bucal na sua autoestima?

Colocar a mão na frente da boca ao sorrir é um claro sinal de timidez, mas esse não é um hábito exclusivo de envergonhados por natureza. É também um recurso daqueles que sofrem apenas de uma vergonha específica: da própria boca. Os dentistas alertam que os dentes tortos, estragados e principalmente a falta deles, diminui em até 90% a vontade de sorrir, deixando os pacientes com baixa autoestima.


Segundo a Organização Mundial de Saúde as pessoas que se sentem infelizes por problemas estéticos normalmente se sentem inferiores ao demais, causando dificuldades em seu convívio social. No Brasil, apenas 55% dos adolescentes têm todos os dentes. Entre os adultos, o número cai para 54% e, entre os idosos, para 10%.


O comportamento retraído muitas vezes é um reflexo da insegurança causada por um problema dentário. Uma pessoa que se sente assim não sai com os amigos, tem dificuldade nas entrevistas de emprego, não consegue encontrar um companheiro e tende a ficar doente com mais freqüência.


Por isso, não é um exagero dizer que a odontologia pode realmente transformar a vida de alguém. Os benefícios vão muito além da sensação de prazer ao olhar-se no espelho e ficar mais satisfeito.


E não há idade para investir na conquista de um belo sorriso, sendo que os cuidados devem vir desde criança. Principalmente na terceira idade, esse cuidado deve ser uma prioridade, uma vez que pode devolver a alegria, a segurança e a tranqüilidade de sorrir sem medo.


A autoestima é uma das forças necessárias para que o indivíduo se sinta bem e melhore a sua qualidade de vida.


Silvana de Lima Psicóloga – CRPO 07/26507

16 visualizações

personalizado por: agenciavela.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon
WhatsApp logo.png